Crocantes, quentinhas, deliciosas e, agora, saudáveis! Consumidas da maneira correta, as batatas fritas podem ser benéficas à saúde!

Batata frita… Difícil resistir, não é mesmo? Um dos alimentos mais consumidos no mundo e símbolo clássico dos petiscos, ela, no entanto, sempre foi tratada como um “vilã” das dietas. A boa notícia para o amantes dessa delícia, é que a ciência nutricional está mostrando o contrário. Preparada da forma correta e degustada moderadamente, um estudo comprovou que a batata frita pode ser até mais saudável do que a cozida. Entenda as razões!

Sim, isso mesmo! A batata frita pode ser mais benéfica que a cozida. De acordo com estudos realizados pela Universidade de Granada, na Espanha, e que prontamente repercutiu no mundo inteiro, quando a batata é submetida à fritura, desde que seja em azeite extravirgem, a quantidade de fenóis (agente antioxidante que fortalecem o nosso sistema imunológico) aumenta, tornando-a mais eficaz a proteção do organismo, e a prevenção de problemas como câncer, doenças degenerativas e até o diabetes.

A nutricionista Cristiane esclarece, abaixo, as principais dúvidas e cuidados necessários para o consumo da batata frita em um plano alimentar saudável. Confira!
– A batata frita é realmente mais saudável do que a cozida?

“A batata inglesa cozida, assim como qualquer outro vegetal cozido, se torna um alimento de alto índice glicêmico, pela perda de fibras naturais do processo de cocção. Quando se é acrescido uma boa fonte de gorduras à esse cozimento, o seu valor nutricional, de compostos bioativos, antioxidantes aumentam também. Do ponto de vista nutricional, em uma dieta bem equilibrada, esse tipo de fritura não fará mal algum.”
– Quais cuidados devemos ter para o consumo de batata frita?

“A fritura, mesmo que em azeite específico, aqueles azeites que não são encontrados em supermercados comuns, são feitos para cocção e têm seus valores energéticos aumentados. Por isso, esse tipo de alimento não deve ser consumido livremente na rotina. Até porque são estudos recentes com novas descobertas e ainda não há conclusão alguma sobre o efeito do consumo diário a longo prazo no ser humano.”
– Por que veio à tona essa notícia?

“O modismo da alimentação saudável a qualquer custo, tem criado uma barreira no consumo de gorduras boas, como se qualquer gordura fosse maléfica na alimentação e a grande causadora de aumento de peso, risco de doenças cardiovasculares, entre outras. Qualquer alimento, quando acrescido em boas gorduras, terá um enriquecimento nutricional naturalmente.”
– O que, de fato, é verdade nesse estudo?

“Não existe verdade ou mentira. A procedência, a forma como se prepara um alimento, a quantidade de frequência de consumo na rotina é que faz total diferença no funcionamento do organismo e metabolismo do ser humano. A busca do equilíbrio é diária, sem extremismos. Tudo em dosagem errada em nossa vida, se torna maléfico, até um alimento.”
– Então é possível incluir o consumo da batata frita em uma alimentação saudável?

“É possível sim. Em uma refeição livre, o consumo da fritura preparada com azeite próprio para cocção ou banha, com pouco sal (este também de boa qualidade), sem exageros, não causará problema algum. Pelo contrário, o prazer em comer um alimento como esses, estimula a produção dos hormônios do prazer, bem-estar, melhorando o humor e dando ainda mais energia para os momentos seguintes do dia. E lógico, as próximas refeições/lanches, deverão ser saudáveis e equilibradas para efeito compensatório e equilibrando o organismo novamente.”
*A Dra. Cristiane Coronel (CRN1-4551) é nutricionista clínica e esportiva funciona.